Munique. Portugal palpita no coração da cidade alemã

Há uma bicicleta destinada ao nosso passeio matinal e a falta de hábito e o tamanho do banco proporcionam três quedas seguidas, o Uli olha-nos com estranheza mas acha piada à situação. Perguntamos-lhe onde podemos encontrar os portugueses que por cá vivem, mas não temos muita sorte com a informação. Não tarde, porém , a ser-nos útil com as chamadas telefónicas que terá de realizar para nos manter informadas sobre um esfaqueamento no metro. Traduz as informações que lhe dão para inglês. Houve seis feridos mas os suspeitos foram presos, “está tudo tranquilo e voltou tudo à normalidade”.

A chegada a Ljubljana

Os aeroportos sempre me fascinaram. Lembro-me perfeitamente de ser criança e participar numa visita de estudo do infantário para conhecer…