Volta à barriga

English version below

[PT] Viu o meu ar perdido e curioso e veio ter comigo. Eu entrei naquele átrio porque tinha fome de comida mas acabei por encontrar alimentos que não estavam no menu. Havia um silêncio majestoso naquele cubículo aleatório na eira de um restaurante nepalês em Vienna. Estava frio mas aqueles homens não sabem o que é isso de sentir extremidades gélidas, estão demasiado concentrados em aquecer o mundo com filosofias de amor. Enquanto os outros monges, numa espécie de transe, desenhavam mandalas de areia num enorme tabuleiro, eu que viajava para lá das cores não devo ter escondido nos olhos o que cá por dentro se fazia sentir. O inglês dele era calmo, falava baixo quase em segredo, para o ouvir tive de me focar a sério.
– Tens muitas perguntas?
– Demasiadas.
– Podes começar por uma. – disse-me enquanto sorria.

Fiz uma e outra e mais outra. Talvez um dia tenha coragem para transcrever tudo que anotei no caderno da viagem. Falámos da paciência, do saber esperar. Falou-me das viagens anuais, dos mosteiros, do budismo. Deu-me conselhos e respirámos fundo. Discutíamos o silêncio, as ansiedades mundanas e o amor.
– Que tem o amor?
– Sinto que é cada vez mais difícil.
Riu-se.
– Saber esperar é difícil. A rejeição é difícil. As pessoas são difíceis, não o amor. O amor não é a voz do ego, é o silêncio sublime do ser. Não precisa falar mais alto, mudar o tom de voz, está aqui, sem esperar prémios.
– Mas às vezes sabia bem um chocolate.
Riu-se outra vez, com carinho pela minha impaciência.
– Sabe, sabe. Mas a gula também é um grito do ego. Só que não é mais que um prazer momentâneo. Mas e a longo prazo, sabes o que faz?
– O que?
-Dá-te à volta à barriga.

Foto Diana Tinoco

 

[English]

He saw how lost and curious I looked, and so he walked in my direction. I had gotten into that atrium for I was famished, but I ended up finding nourishments that were not on the menu. One could listen to the majestic silence in that random cubicle on the threshing floor of a Nepalese restaurant in Vienna. It was a chilly day, but those men ignored the feeling of having cold extremities, for they were greatly devoted to warming the world with philosophies of love.

While the other monks, in some sort of trance, were drawing sand mandalas on a vast board, I found myself flying beyond the colors and I must hardly have hidden in my gaze what I was experiencing inside. He spoke in a calm voice, nearly whispering. To be able to listen to him, I had to empathically focus.

-Do you have any questions?

-Too many.

-You can start by putting one. – He told me while smiling.

I was in the last stage of a 35-day trip through ten countries of the Balkan route. I certainly did not lack questions. I asked one and then another and then another. Perhaps one day I might have the guts to transcribe everything I wrote down in the travel log. We uttered about patience, about waiting. He told me about their yearly voyages, about monasteries, Buddhism. Every year, they journey to five distinct nations, in an art exchange, so they can aim their end of collecting donations for the erection of a new monastery, where poor children can be schooled for free.

The Tibetan monk gave me pieces of advice about life. We took a deep breath. We talked about silence, mundane anxieties, and love.

-What about love?

-I feel it’s getting harder.

-He laughed.

-It’s hard to wait. Rejection is challenging. People are hard, not love. Love is not the voice of the ego, it’s the sublime silence of being. It doesn’t need to raise its voice, change its pitch. It’s here, awaiting no rewards.  

-Sometimes tasting some chocolate would be nice.

-He laughed once again, with a fondness for my impatience.

-Yes, it would. But gluttony is also a cry from ego. It’s just a transitory pleasure. But in the long run, do you know what it does?

-What?

-It makes your tummy turn.

Tradução: Rita Balinha

Anúncios

Categorias:TropeçõesEtiquetas:, , , ,

Balolas Carvalho

Tenho uma imensa sorte em me cruzar com pessoas extraordinárias em momentos extraordinários e só quero poder partilhar essa sorte com o mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s