Strippers e sonecas

+Quando tinha 17 anos fui passar uma semana ao Algarve com um grupo de amigos. Estava a ser uma semana incrível em Portimão e a discoteca a que costumávamos ir anunciou uma noite de mulheres numa Quarta-feira. A noite prometia bebidas grátis e uma surpresa. Éramos três raparigas e cinco rapazes. Entrámos todos e, obviamente, achámos que seria mais uma noite normal, apenas com direito a uma folga nas carteiras já que o grupo ia lucrar com as bebidas de oferta.

Não me lembro a que horas foi mas, às tantas, ouve-se uma voz que pede aos homens para se dirigirem a outra sala, já que as mulheres teriam uma surpresa. Nisto apagam as luzes e nós inocentes, virgens e tímidas não estávamos a perceber nada.

Eu não sei como é que aconteceu, mas as mulheres multiplicaram-se. Pelos vistos éramos as únicas que não faziam a menor ideia de que surpresa era esta. Ao que viemos a saber, estavam ali mulheres de todo lado que tinham vindo de propósito ÀQUELA noite das mulheres. Havia gente de todas as idades, mas principalmente senhoras com idade das nossas mães. Aquela discoteca estava ao rubro com uma energia que nunca me vou esquecer. Nisto entra um grupo de homens de fato para o palco, começam uma coreografia espectacular e, do nada, sacam o fato de uma vez só.

Não há palavras para descrever as nossas caras e, muito menos, a quantidade de coisas que nos passou pela cabeça.
As mulheres eram chamadas ao palco e as que ficavam na plateia deliravam. Nós fugimos para o andar de cima, não só com medo que a aleatoriedade fosse nossa inimiga, mas também para conseguirmos ver melhor.

Foi absolutamente extraordinário, o espectáculo deles e o que as mulheres todas viveram ali. Eu adorei e lembro-me de decorar que se fosse eu a mandar só dispensava o fio dental.
Sempre amei cinema, e naquela altura já tinha visto centenas de filmes com mulheres a despirem-se, com shows super sexy femininos, filmes em que elas mostravam tudo. Os videoclipes também eram sempre feitos com mulheres a darem tudo e, como mais tarde vim a comprovar, também os filmes pornográficos eram feitos quase a 100 % para agradar a homens. Obviamente não estava preparada nem para ver homens a dançar e a tirar a roupa, nem tão pouco para uma noite em que as mulheres eram realmente o centro das atenções. Naquelas horas não importaram para absolutamente nada o peso, o cabelo, o estilo, a maquilhagem, a idade, a celulite, naquela noite todas foram tratadas como mulheres lindas e incríveis.

Quando se fala em cinema já se sabe : quando não há senão “blockbusters” no cartaz ou sai dali um tipo de cinema tendencialmente bruto e sangrento, ou romanticamente entendiante e “lame”.
O que acontece, normalmente, quando vou ao cinema com amigos rapazes é que se chegamos à porta do cinema e no cartaz não está nenhum filme que se adivinha bom, já se sabe que a escolha vai tender para alguma coisa com tiros, explosões, carros e lutas alucinantes. Acabo muitas vezes por adormecer, já que no final dos primeiros dez minutos já sei como vai acabar.

Hoje fomos ao cinema e não havia nada de jeito no cartaz. Fui eu, a minha irmã e o namorado dela. Quando vi o Magic Mike XXL no cartaz disse-lhes : com certeza é um péssimo filme, mas eu estou a precisar de ser agradada e sei que há probabilidades de isso acontecer se for ver este filme.
Foi uma discussão de dez minutos, estava sozinha na luta. Não havia chances nenhumas neste mundo de levar o meu querido cunhado ao cinema e o pôr a ver o MM, mas a verdade é que fomos lá parar e que ele era o único homem na sala.
Como já se previa, o filme tem diálogos horríveis, tem maus actores e é isso tudo de mau que vocês conseguem imaginar. Só que há uma parte surpreendente no Magic Mike XXL : pela primeira vez na minha vida vi um filme em que a mulher é sexualmente o centro das atenções. Obviamente não gostamos todas do mesmo, eu continuo a não achar piada a homens de fio dental, mas não há nada nesta vida como sair de uma sala de cinema feliz. Não estou nem um pouco envergonhada por ter saído feliz daquela sala de cinema quando houve um grupo de pessoas do outro lado do Atlântico que decidiu fazer um filme que, apesar de péssimo, diz com todas as letras : nós pensamos em vocês e sabemos como mexer com uma mulher.

Com isto tudo lembrei-me do que me disse uma senhora aqui no Porto,há dois anos, numa casa de banho pública, que era mais ou menos assim: “O mundo está cheio de cabrões que nos querem puras, santas e burras. Filhas vocês aprendam o que é bom e não exijam menos que isso”.
A cara de agrado da mulherada que saiu daquela sala dizia tudo e escusado será dizer que o único a ter de acordar no final do filme, foi o contrariado do meu cunhado.

2 Comments

  1. “O mundo está cheio de cabrões que nos querem puras, santas e burras. Filhas vocês aprendam o que é bom e não exijam menos que isso” Adorei!!! Adoro a tua escrita e as tuas ideias

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s